Os trens

 
Henry Ford também se aventurou pelos trilhos, ou melhor, pelos caminhos de ferrovias. Prova disso, foi uma ferrovia dos anos 20 e uma locomotiva que ele construiu, no início dos anos 30. Leia a história:
 

Henry  Ford adquiriu a ferrovia Detroit, Toledo e Ironton (DT&I) em 1920, que fazia a ligação entre Detroit (Michigan) a Ironton (Ohio). O principal objetivo era transportar as matérias-primas para  o Complexo Rouge, famosa fábrica fordista que operou até o final dos anos 30, em Detroit.

Ford reconheceu a importância estratégica da linha para a produção do Ford Modelo T, e essa linha teria conexão com todas as principais linhas de trem do Centro-Oeste americano. Isso deu ao magnata o controle direto sobre as remessas de matérias-primas para o Rouge.

A linha prosperou e viu inúmeras melhorias sob a gestão de Ford. No entanto, Henry  venda a ferrovia em 1929 para a Pennsylvania Railroad, após ficar aborrecido com a interferência e com a regulamentação da Comissão Interestadual de Comércio.

Já em relação à locomotiva Edison 440, Henry Ford queria uma peça estilo William Mason do período pós-Guerra Civil para o seu museu. Motores da marca Mason eram famosos por seu desempenho superior e design técnico.

Em 1932, Ford criou esta réplica usando peças de diferentes locomotivas, e a batizou em homenagem a seu amigo Thomas Edison (inventor da lâmpada elétrica).

A locomotiva foi montada no Rouge Locomotive Shop, em Detroit, Michigan, e tinha as seguintes características:

  • Peso (locomotiva e concurso): 25 toneladas
  • Arranjo da roda: 4-4-0 (4 rodas dianteiras piloto, 4 rodas motrizes e sem rodas de arrasto)
  • Velocidade Máxima: 40 mph

Até hoje, a Edison 440 proporciona passeios aos visitantes em Greenfield Village, em Dearborn, Michigan.

 

Fontes: Wikipedia e Portal Greenfield Village Memories

 

Réplicas (em resina) das locomotivas DT&I (esq.) e Edison 440, aquisição e criação de Henry Ford

PASSEIE PELA EDISON EM GREENFIELD VILLAGE